Herdei um imóvel e agora?

Herdei um imóvel e agora?


Saiba como proceder e quais medidas devem ser adotadas quando se recebe um imóvel









No momento em que se herda um imóvel é comum surgirem algumas dúvidas. Entre as mais recorrentes estão: se um dos herdeiros optar pela venda do imóvel, o bem terá que ser vendido? No momento do falecimento, um dos beneficiados vivia ou cuidava do proprietário, essa pessoa é obrigado a deixar o imóvel imediatamente? Entenda quais os  direitos que cada herdeiro tem em relação ao bem.





Após o falecimento de um familiar ocorre a divisão de seus bens. Há dois caminhos que poderão ser seguidos. O mais fácil é quando a pessoa deixa documentado qual o desejo em relação à partilha, esse documento chama-se testamento. Quando esse documento não foi preparado é necessário que seja feito um inventário e, por meio dele, elaborar o levantamento de todos os bens e herdeiros.





Tratando-se de imóveis os beneficiados têm dois caminhos: o inventário Judicial ou a escritura pública, em ambos os casos é necessário o auxílio de um advogado para a documentação. O inventário judicial é realizado quando há discordância sobre o que será feito com o imóvel. Após a intervenção de um juiz, o bem tem finalidade. Por ser um processo judicial tende a ser mais demorado e mais caro. A Escritura Publica é vista como um processo mais simples e rápido, em que os herdeiros resolvem a partilha entre si e documentam. Sendo que os herdeiros têm  preferência pela compra da parte outros beneficiados pelo imóvel.





É importante ter em mente que se um herdeiro não aceitar a divisão, por exemplo, não quiser a venda do bem e não puder comprar a parte dos outros herdeiros, o inventário será judicial. Sendo assim o juiz decide no lugar desse beneficiado descontente. A pessoa irá receber o que lhe cabe em relação ao imóvel, mesmo descontente com a venda. Se nenhum dos herdeiros se interessarem pela aquisição do restante, o imóvel vai à venda ou até mesmo a leilão.





É comum acontecer de uma familiar viver ou cuidar do proprietário do imóvel. Após o falecimento os outros herdeiros podem exigir que a pessoa saia do imóvel ou permitir que ela continue vivendo no local. Porém, durante a elaboração do inventário deve ficar especificado se o herdeiro que usufrui o bem, ou seja, mora no imóvel, pague aluguel às outras partes ou não. Essa regra não se aplica quando a pessoa que vive no local seja a conjugue do falecido. Por exemplo, morre o marido, a esposa não precisa pagar aluguel aos filhos, pois o imóvel pertence a ela.





A melhor
alternativa para o imóvel de herança é que os herdeiros entrem em acordo.
Porque o não acerto entre as partes resulta em um processo judicial, com custos
e desgaste para os envolvidos. Sendo que o resultado será a venda do imóvel,
mesmo que um das partes não queira.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © - Todos os direitos reservados.