Financiamento: qual a diferença entre os modelos SFH e SFI?

Financiamento: qual a diferença entre os modelos SFH e SFI?






É preciso ficar atento às diferenças de cada modalidade e escolher a que mais de adéqua ao seu bolso.





O sonho de sair do aluguel e
adquirir um imóvel próprio ainda é um dos grandes desejos dos brasileiros.
Entretanto, o valor dos imóveis e, muitas vezes, a falta de educação financeira
direcionada para poupar, são fatos que levam a maior parte da população a
investir nos financiamentos.





É preciso estar atento, pois existe
mais de uma modalidade de financiamento, saber as regras de cada uma é
importante, afinal, o comprador precisa estar ciente das condições às quais
está sujeito para efetivar o financiamento.





Hoje, vamos falar das modalidades SFH e SFI. Vem com a gente!





O que é SFH?





O SFH é o Sistema Financeiro da
Habitação, criado pela Lei 4.380/64. Essa opção de financiamento foi feita para
quem tem a renda um pouco mais baixa, apesar que hoje em dia atende a um
público de diversas rendas por conta dos preços dos imóveis, e que está
adquirindo o primeiro imóvel.





Até meados de abril, os valores dos
imóveis válidos para essa modalidade de financiamento eram diferentes em cada
região do Brasil, entretanto, foi unificado um teto de até R$ 1,5 milhão em
todo o país.





Através do SFH, é possível financiar até 80% do valor do imóvel. Outras regras que devem ser cumpridas para obter esta modalidade de financiamento é que a casa ou o apartamento deve estar registrada no Cartório de Registros de Imóveis, deve ser residencial e urbana e ter localização na região onde a pessoa que vai comprar reside ou trabalha há pelo menos um ano.









Além disso, os recursos do FGTS não
podem ter sido usados para financiamento ou construção do imóvel por três anos.
O prazo máximo de pagamento do financiamento é de 35 anos.





O sistema ainda permite que seja usado o saldo do FGTS para abater o valor do financiamento, mas outros requisitos entram em questão: não é possível ter qualquer outro financiamento através do SFH, não pode ter outro imóvel residencial e urbano na região que reside ou trabalha e deve ter contribuído por pelo menos três anos consecutivos ou não de trabalho, seja na mesma empresa ou em companhias distintas.





O que é SFI?





SFI é o Sistema Financeiro Imobiliário, criado pela Lei 9.514/97. Ele engloba todos os outros quesitos que não se enquadram no SFH: imóveis que ultrapassem o valor de R$ 1,5 milhão, que sejam comerciais ou zonas rurais ou que ficam fora da região que a pessoa reside ou trabalha.





Essa modalidade acaba atendendo ao
mercado de luxo e também investidores, que compram imóveis para alugar ou
revender. Através dela, não é possível usar os recursos do FGTS.





O SFH utiliza recursos mais baratos e que são mais baratos para o banco que pega o dinheiro emprestado, enquanto no SFI, os recursos são mais caros. E isso acaba influenciando nas taxas de juros dos financiamentos.









No SFH, os recursos vêm da poupança
e do FGTS, que são fontes mais baratas, fazendo com que as taxas de juros
acabem sendo mais em conta. Por outro lado, o SFI conta com recursos de
operações de mercado de capitais, que são mais caros e acabam gerando uma taxa
de juros sempre mais alta do que o SFH.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © - Todos os direitos reservados.